A Feira

O projeto “Feira Entre Mundos” tem como objetivo nos aproximar de nossas raízes ancestrais, retratando de forma lúdica, a contextualização histórica sociocultural dos povos nos diversos continentes, durante a Idade Antiga e Medieval. Visamos, através deste conhecimento, fomentar a diversidade cultural, trazendo um melhor entendimento sobre as várias feições que a nossa cultura assume atualmente, abrindo caminho para que possamos contrapor os valores e parâmetros que um dia foram comuns a alguns homens e hoje se mostram tão distantes do que vivemos.

A Feira Entre Mundos foi criada a partir de uma inciativa voluntária e hoje é representada
pela união cooperativa de diversos artistas, professores e amantes da história antiga, a fim de recriar este maravilhoso universo, repleto de magia, romantismo, sangue e honra que nos conta a história da humanidade.

O compromisso de apoio á instituições ambientais que a Feira Entre Mundos mantém desde a primeira edição, tem sido um fator decisivo para a continuidade do projeto, que conserva viva sua ideologia de promover a integração do homem com o seu meio natural e suas raízes. Para tanto, destinamos parte da receita líquida arrecadada, à instituição ambiental Associação Mata Ciliar, que realiza um excelente trabalho no cuidado da fauna e flora silvestre de toda a região.

Principais Objetivos:

  • Dar oportunidade para que as pessoas possam conhecer através da arte, música e dança, um importante período da história da humanidade e, desta forma, desenvolver conceitos e critérios acerca da organização social antiga e contemporânea;
  • Promover a diversidade cultural, apresentando através do contexto histórico,
    diferentes perspectivas de circunstâncias que interferiram e mudaram o percurso da humanidade, oferecendo espaço às opiniões de diferentes culturas a respeito destas questões;
  • Resgatar a ideologia de uma vivência simplista, valorizando o que é produzido
    artesanalmente e ou, através da reciclagem, proporcionando assim, soluções capazes de substituir o conceito de produção em massa, possibilitando uma nova concepção de vida naturalista em uma época na qual tudo se baseia em tecnologia e industrialização;
  • Restaurar, através da parceria com entidades ambientais, o elo entre o homem e
    seu meio.

Histórico

A feira Entre Mundos teve sua estreia em 2013 e desde o início – destacando-se pelo seu
potencial cultural, ambiental, e turístico – contou com o apoio da Secretaria de Educação, Esporte, Cultura e Lazer do município de Várzea Paulista. Hoje, nacionalmente conhecida, mantém-se em evidência, sendo cotada como uma das melhores feiras de cultura antiga do país, atraindo visitantes de vários Estados do Brasil.

Cada edição conta com aproximadamente 30 atrações diferentes e durante suas 15 horas de duração, atende a um público médio de 3mil pessoas. Cada espaço da feira é elaborado com o máximo critério, a fim de transportar os visitantes a um passado distante, para que possam conhecer através da arte, música e dança a gloriosa história da humanidade.

São mais de 300 pessoas envolvidas na realização deste grande festival, dentre elas: produtores, expositores, artistas, professores, músicos, palestrantes, bailarinos, cantores, atores, poetas, trovadores e amantes da história clássica antiga; todos unidos em cooperativa e sem as quais o festival nunca teria acontecido.

 

CARLA MIRELA

Idealizadora do projeto “Feira Entre Mundos”


A instituição beneficiada – Associação Mata Ciliar

A Associação Mata Ciliar (entidade civil sem fins lucrativos) foi fundada em 1987 com o objetivo de preservar os mananciais através do estudo e produção de mudas das espécies nativas. Hoje a instituição conta com a produção anual de aproximadamente dois milhões de mudas de 200 espécies diferentes de plantas características de Mata Atlântica e Cerrado, produzidas em três viveiros localizados nas cidades de Pedreira, Jundiaí e Águas de Lindóia.

Em 1997, a Mata Ciliar fundou um Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) na cidade de Jundiaí (SP), com o intuito de prestar atendimento médico veterinário aos animais da fauna silvestre local. Os animais, provenientes da Serra do Japi e região, chegam ao CRAS em consequência de tráfico, queimadas, caça, desmatamento, entre outros motivos; sendo encaminhados à Mata Ciliar pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, Guardas Municipais, além de outras instituições.

A Mata Ciliar conta também com o Centro Brasileiro para Conservação de Felinos Neotropicais, que tem o objetivo de implementar estratégias para a conservação das oito espécies de felinos selvagens que ocorrem no país. Trata-se de um centro de referencia internacional promovendo pesquisa em cativeiro e vida livre.

Conheça o site da Mata Ciliar